Imagem Folheados

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

10 ótimos motivos para você para fazer um Consórcio na Porto Seguro Consórcios.

video


10 ótimos motivos para você para fazer um Consórcio na Porto Seguro Consórcios.

Porque o plano é ser feliz!
assista ao vídeo, na página
https://www.facebook.com/portoseguroconsorcios/
e simule o seu plano de consórcio, no site:

http://portoseguro.simuleai.com.br/
Márcia Ribeiro - Consultora de Vendas Porto Seguro
tel.: 11 4107-5972 / cel./whatsapp: 11 9 6091-4931
instagram: @marcia.ribeiro.consorcios
http://portoseguro.simuleai.com.br/
#Tempo #Realização #Sonho #Guarulhos #Automovel #Motocicleta#Caminhão #Imóvel #Plano #Feliz #PortoSeguro #Poupança #PME#startup #empreendedorismo #consorcio #cota #sorteio #lance

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Divulgue seu negócio nas redes sociais.

Divulgue seu negócio nas redes sociais!
Multiplique suas vendas!
Promova sua marca!
Conquiste novos clientes!
Agência NOIMD.
whatsapp 11 9 6653 5996
ricardo.ferreira@agencianoimd.com.br
https://business.facebook.com/noimd2016/
#Negócios #RedesSociais #Vendas #Clientes #Marca #Branding #MarketingDigital #Divulgar #Promover #Conquistar #Multiplicar #Internet #Anúncio #Post #Pinterest #Google#Twitter #Linkedin #Facebook #Instagram #WhatsApp #Youtube


domingo, 21 de maio de 2017

Consultoria em Vendas e Marketing Digital

Agência NOIMD
Consultoria em Vendas e Marketing Digital
https://business.facebook.com/noimd2016/

Divulgue seu negócio nas redes sociais!
Aumente suas vendas!
Promova seus produtos e sua marca!
Conquiste novos clientes!
Agência NOIMD.
whatsapp 11 9 6653 5996
ricardo.ferreira@agencianoimd.com.br
instagram @ricardo_agencia_noimd
Gestão de Redes Sociais, a partir de R$ 350,00 mensais.
Consultoria em Vendas e Marketing Digital, a partir de R$ 750,00
#Negócios #RedesSociais #Vendas #Clientes #Marca #Branding#MarketingDigital #Divulgar #Promover #Conquistar #Multiplicar#Internet #Anúncio #Post #Pinterest #Google#Twitter #Linkedin#Facebook #Instagram #WhatsApp #Youtube
#adwords #business #ecommerce #empreender #empreendimento#gestaocomercial #google #inboundmarketing #inboundmkt #linkpatrocinado #marketing #midiassociais #mktdigital #rededisplay #site #socialmidia #ComoVenderMais #Gestão #Consultoria






Amplie seus resultados, via Internet. Use as novas mídias e fature, acima da média.
-----------------------------------------------------------
- Consultoria em Negócios Digitais (Branding (Marca), Vendas, Clientes)
- Gestão de Vendas Online
- Inbound Marketing
- SEO/SEM (posionamento )
- Tráfego pago (links patrocinados - Google Adwords, Facebook Ads, Twitter Ads, e outras)
- Tráfego orgânico (produção de conteúdo em vários formatos)
- Captação de Leads, e Conversões.
- Gestão de Mídias Sociais (Facebook, Instagram, LinkedIn, Youtube, Twitter, Whatsapp, Skype, Snapchat, Pinterest, Google+, e outras)
https://business.facebook.com/noimd2016/
whatsapp: +5511966535996  -  instagram:  ricardo_ferreira_sp
ricardo.ferreira@agencianoimd.com.br
#internet #midia #redes #site #blog #facebook #instagram #whatsapp #twitter #linkedin #venda #cliente #marca #branding #gestao #lead #marketing #inbound #link #trafego #empresa #negocio #oportunidade#investir
#Internet #Anúncio #Post #Pinterest #Google#Twitter #Linkedin #Facebook #Instagram #WhatsApp #Youtube

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Consorcio - Instrumentos Musicais e Equipamentos de Audio


Estou divulgando a parceria da Yamaha Musical com o Consórcio Unifisa. 

Para seu hobby ficar melhor, para incentivar seu filho, 
indique para o seu amigo que curte música e quer um instrumento de ponta, 
aquele seu amigo que tem banda e precisa de um instrumento de mais qualidade. 
Também temos para equipamentos de outras marcas. 
Ofereço condições diferenciadas !!! (11) 98396-1980



domingo, 7 de maio de 2017

Caixa Econômica Federal espera crescimento do mercado imobiliário em 2017

Caixa Econômica Federal espera crescimento do mercado imobiliário em 2017
Em janeiro e fevereiro, o banco estatal liberou R$ 14 bilhões em empréstimos para a compra e construção de imóveis.
http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/economia/noticia/2017/04/caixa-economica-federal-espera-crescimento-do-mercado-imobiliario-em-2017-9764123.html

Veja as oportunidades que temos para você em:
http://investidoremimoveis.blogspot.com.br
https://www.facebook.com/JQ-Imoveis-1804306546491395/

#caixa #imoveis #financiamento #compra #venda #locacao #aluguel #mercado #construcao #reforma

quinta-feira, 20 de abril de 2017

07 livros que vão ajudá-lo a investir, prosperar e enriquecer.

Listei sete excelentes obras que vão fazê-lo chegar aos seus objetivos financeiros, de modo sequencial e didático.
Não há mágica em prosperar.
Há muito de disciplina, esforço, estudo, e sacrifício.
No fim, há de valer a pena, para si e para sua família e/ou interesses profissionais.
Boa leitura!








#riqueza #prosperidade #carreira #investimento #crise #segredo #mente #rico #poupança #tesouro #prosperar

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

8 dicas para se dar bem no trabalho remoto | tutano

8 dicas para se dar bem no trabalho remoto | tutano: Parece fácil trabalhar remotamente: mais tranquilidade, flexibilidade e disposição. Mas nem sempre é um mar de rosas. Conheça 8 dicas valiosas para trabal

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Confira as normas para novo limite de aquisição de imóvel via FGTS

Confira as normas para novo limite de aquisição de imóvel via FGTS


No fim do ano o Ministério da Cidades alterou as normas legais para adequá-las ao novo limite de aquisição de imóveis com o FGTS ( Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço), que subiu de R$ 650 mil para R$ 800 mil (R$ 950 mil em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal) após autorização do Conselho Monetário Nacional (CMN).
Nesta segunda-feira (9), foi divulgado uma instrução normativa publicada no Diário Oficial que elevou o limite de imóveis usados como lastro para operações de aquisição de cotas com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em fundos de investimento imobiliário, em direitos creditórios, debêntures e Certificados de Recebíveis Imobiliários.
Os empreendimentos serão compostos por unidades habitacionais com valor de avaliação de até R$ 800 mil a R$ 950 mil.
Também foram enquadrados os limites do programa “Carta de Crédito Associativo”, que destina recursos financeiros para a concessão de financiamentos a pessoas físicas que desejem adquirir habitações ou lotes em cooperativas para a produção habitacional.
Fonte: Zappro

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

HORA DE INVESTIR EM IMÓVEIS - TEXTO COMPLETO

Ricardo Amorim

Ricardo Amorimfalse

CEO na RICAM Consultoria e Apresentador do Manhattan Connection na Globonews
Há cerca de 10 anos, analistas começaram a vaticinar que o Brasil teria uma bolha imobiliária prestes a estourar e que os preços dos imóveis cairiam em média 50% ou mais quando ela estourasse. Baseado em indicadores que apontavam que - ao contrário do que a maioria achava - em comparação a países onde bolhas imobiliárias estouraram, o endividamento de compradores de imóveis e o volume de novos lançamentos eram ainda pequenos e os preços não eram excepcionalmente elevados em relação à renda por aqui, publiquei diversos artigos refutando tais análises.
Os últimos anos foram a prova do pudim. O mercado imobiliário enfrentou a tempestade perfeita. A economia teve a maior contração em qualquer período de três anos desde 1900, a confiança de empresários e consumidores caiu aos níveis mais baixos da história, as taxas de juros subiram significativamente, a oferta de crédito imobiliário despencou ao menor nível em muito tempo e várias empresas líderes do setor passaram por dificuldades significativas e, em alguns casos, até por reestruturação judicial. Cenários muito menos extremos já seriam suficientes para fazer qualquer bolha imobiliária estourar, caso houvesse uma.
Não foi o que aconteceu. As vendas e os novos lançamentos de imóveis despencaram e os preços caíram. Em alguns casos, as quedas de preços foram muito expressivas. No entanto, não houve um colapso generalizado de preços parecido ao que ocorreu, por exemplo, nos EUA quando uma bolha imobiliária estourou entre 2007 e 2009. Naquele caso, os preços de imóveis residenciais em todo o estado da Flórida caíram em média 60%. No estado de Nevada, a queda média de preços atingiu 80%. Em vários países europeus, as quedas médias de preços foram parecidas. No Brasil, muitos imóveis tiveram quedas de preços nestes patamares ou próximas a eles, mas na média, de acordo com Índice FIPE/ZAP, os preços de imóveis residenciais, por exemplo, apenas pararam de subir, tendo se estabilizado em 2016.
Estes dados subestimam a contração de preços que realmente aconteceu por duas razões. A mais importante é que eles desconsideram a inflação, que só em 2016 já atingiu 5,4%. Adicionalmente, o Índice FIPE/ZAP, que mede preços pedidos pelos vendedores, subestima a contração de preços efetivamente praticados no mercado, em função de descontos crescentes concedidos pelos vendedores nos dois últimos anos para conseguir concretizar as vendas. Em resumo, houve, sim, queda de preços de imóveis no Brasil, mas a queda média de preços foi muito inferior a de países onde bolhas imobiliárias estouraram, o que sugere para um ciclo usual de ajuste de preços em meio a uma recessão econômica.
Esta distinção é fundamental para todos que trabalham no setor imobiliário e todos que pretendem investir em terrenos, galpões, imóveis comerciais ou residenciais ou aqueles que pretendem comprar sua casa própria nos próximos anos.
Estouros de bolhas imobiliários são seguidos por longos períodos de desempenho econômico muito inferior ao que o país tinha até então e uma elevação significativa da taxa de desemprego, o que cria riscos importantes para quem oferta crédito e quem assume dívidas para financiar a compra dos imóveis. Foi o que aconteceu com o Japão nos últimos 25 anos e na Europa nos últimos 8 anos, por exemplo.
Em segundo lugar, há uma retração permanente do volume de negócios no mercado imobiliário com uma redução significativa do volume de lançamentos imobiliários, diminuindo o número de empregos e as oportunidades em toda a cadeia do setor imobiliário – desde quem constrói até quem vende imóveis. Foi isso também o que ocorreu no Japão, na Europa e mesmo nos EUA. O número de lançamentos imobiliários nos EUA nos últimos 12 meses não chegou a um terço do que era em 2007. Na Europa e no Japão, as contrações foram ainda maiores.
No Brasil, ao contrário, tivemos uma contração cíclica do mercado imobiliário causada pela recessão. Assim como aconteceu após as recessões de 2003 e 2009, esta contração deve ser seguida por um reaquecimento do mercado imobiliário à medida que a confiança e a economia se recuperarem e a oferta de crédito voltar a se expandir, começando pela recuperação de preços, seguida em um segundo momento pela recuperação do volume de vendas e, em um terceiro, de novos lançamentos .
A oportunidade para quem quer investir no mercado imobiliário está em posicionar-se antes que estas tendências se concretizem e sejam claras para todos. Já há vários sinais nesta direção, mas a maioria ainda não se deu conta disso.
Nos últimos meses, a confiança de empresários de todos os setores da economia e de consumidores têm subido de acordo com os indicadores da FGV, CNI, Fecomércio e outros. Alguns setores já têm até mostrado uma incipiente recuperação. Por conta da queda da inflação, a taxa de juros começará a cair ainda neste ano e, provavelmente, continuará em queda ao longo do ano que vem e do próximo, trazendo novamente a taxa SELIC para patamares de um dígito, estimulando as instituições financeiras a oferecerem maior volume e condições mais atraentes para o crédito imobiliário, o que expandirá a procura por imóveis tanto comerciais quanto residenciais.
Como detalhei em meu livro Depois da Tempestade, publicado recentemente, caso o governo Temer corte gastos públicos, colocando as contas públicas em ordem e afastando temores de risco de insolvência futura do setor público brasileiro – o que acredito que tem grande chance de acontecer – a recuperação econômica será muito mais rápida e forte do que a maioria acredita. Os impactos positivos da recuperação nos setores que mais sentiram a crise de confiança e a falta de oferta de crédito recente serão ainda maiores, capitaneados exatamente pelos setores imobiliário e automotivo.
Desde que publiquei o livro, as expectativas já começaram a melhorar. De acordo com o relatório Focus do Banco Central – que apresenta as expectativas de mais de 100 economistas – há poucos meses, eles projetavam, em média, que em 2017, o PIB brasileiro não cresceria nada. Hoje, os mesmos economistas já acreditam que o crescimento será superior a 1%. Salvo o governo Temer provar-se incapaz de fazer o ajuste fiscal ou ocorrer uma nova crise externa, estou convencido de que será muito superior a isso.
Os indicadores do próprio mercado imobiliário já têm refletido esta melhora de expectativas. O Índice IFIX da Bovespa, que mede o desempenho dos fundos imobiliários, teve uma alta de mais de 20% neste ano. Os 10 fundos imobiliários de melhor desempenho do mercado tiveram retornos entre 40% e 65%.
Se o cenário de recuperação econômica, queda de juros e expansão de crédito se concretizar, a demanda por imóveis deve crescer. Além disso, quando ajustado pela inflação, o IFIX ainda está cerca de 20% abaixo do seu nível de 4 anos atrás, sendo que as dificuldades financeiras de muitas incorporadoras e novos planos diretores de várias cidade devem limitar e encarecer novos lançamentos nos próximos anos. Assim, mesmo levando-se em consideração os amplos estoques que terão de ser desovados nos próximos dois anos e que devem inicialmente retardar e limitar a recuperação dos preços dos imóveis, as oportunidades para os interessados em investir em terrenos, galpões ou imóveis residenciais e comerciais agora parecem claras, particularmente para investidores de longo prazo.
Ricardo Amorim é autor do bestseller Depois da Tempestade, apresentador do Manhattan Connection da Globonews, presidente da Ricam Consultoria, o brasileiro mais influente no LinkedIn, único brasileiro na lista dos melhores e mais importantes palestrantes mundiais do Speakers Corner e o economista mais influente do Brasil segundo a revista Forbes.
Hora de Investir em Imóveis
https://www.linkedin.com/pulse/hora-de-investir-em-im%C3%B3veis-ricardo-amorim